Reflexão Ressurreição – Marco 12,18-27

Quarta, 06/Junho/2018 – Ano B – Evangelho Seg. Marcos.

9ª Semana Tempo Comum – Reflexão sobre a Palavra Deus.

Pe. Cássio Santos, CSS – Par. Santíssima Trindade – Goiatuba-Go.

 

Semeando a Palavra de Deus.

“Por esse motivo, exorto-te a reavivar a chama do dom de Deus que recebeste pela imposição das minhas mãos” (2 Timóteo 1,6).

 

Leituras do dia – 1ª: 2 Timóteo 1,1-3.6-12 – Salmo: 122(123) – Evangelho: Marcos 12,18-27.

 

Esperança de Ressurreição – No evangelho de hoje, Jesus é interpelado pelos saduceus, que não acreditam na ressurreição dos mortos. Para tanto, os saduceus tomam como base o dever do levirato (cf. Dt 25,5) e contam a Jesus a história de sete irmãos que casaram com uma única mulher e todos morreram sem deixar filhos. É um fato absurdo. Porém, é uma forma de tentar pegar Jesus em alguma contradição. Ora, eles mesmos sem acreditar na ressurreição, perguntam a Jesus de quem a mulher será esposa na ressurreição dos mortos. Vejamos: “Na ressurreição, quando eles ressuscitarem, de quem será ela mulher?” (v.23). São Jerônimo afirma que ignorar as Escrituras é ignorar a Cristo. Jesus exorta os saduceus e diz: “Acaso vós não estais enganados, por não conhecerdes as Escrituras nem o poder de Deus?” (v. 24). Olha, precisamos conhecer bem as Escrituras e sair da ignorância quanto aos tempos futuros. Então, Jesus afirma que quando os mortos ressuscitarem, os homens e as mulheres não se casarão, pois serão como os anjos do céu. A vida que viviam na terra não terá seqüência na nova vida no céu. Todos serão como os anjos de Deus. Para concluir a questão e afirmar que Deus é o Deus dos vivos, Jesus retoma a passagem da sarça ardente (cf. Ex 3,1-6): “Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó? Ora, ele não é Deus dos mortos, mas dos vivos! Vós estais muito enganados” (vv.26b-27). Creiamos em Jesus Cristo e tenhamos fé e confiança na doutrina da ressurreição dos mortos. O autor sagrado da 1ª leitura enfatiza: “Essa graça foi revelada agora, pela manifestação de nosso salvador, Jesus Cristo. Ele não só destruiu a morte, como também fez brilhar a vida e a imortalidade por meio do evangelho, do qual fui constituído anunciador, apóstolo e mestre” (2 Tm 1,10-11).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *