Jesus ensina a perdoar

Quinta, 16/Agosto/2018 – Ano B – Evangelho São Marcos.

19ª Semana T. Comum – Reflexão sobre a Palavra de Deus.

Pe. Cássio Santos, CSS – Santuário N. Senhora Fátima – Palmas-TO.

 

Semeando a Palavra de Deus

“Senhor, quantas vezes devo perdoar se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?” (Mateus 18,21).

 

Leituras do dia – 1ª: Ezequiel 12,1-12 – Salmo: 77(78) – Evangelho: Mateus 18,21-19,1.

 

O tema do evangelho de hoje é o perdão. No tempo em que Jesus viveu o perdão era limitado. Podia-se viver o perdão apenas quatro vezes e pronto. Por isso, Pedro pergunta a Jesus quantas vezes se deve perdoar. Pedro pergunta e sugere sete vezes. Vejamos: “Senhor, quantas vezes devo perdoar se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?” (v. 21). Pedro foge à regra comum que orientava que podia perdoar até quatro vezes e sugere sete vezes, ou seja, três vezes mais. Como pensar o modo de perdoar desta maneira? Será que deveria anotar numa caderneta as vezes que se devia perdoar? De forma generosa, Jesus amplia a questão do perdão e diz que devemos perdoar todas as vezes que for necessário. O perdão é sem medidas. Deve-se perdoar sempre. Então, Jesus diz a Pedro e a comunidade: “Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete” (v. 22). O perdão é infinito. O perdão é fundamental nas relações de modo geral, sobretudo, começando dentro da família, pequena comunidade doméstica, onde os membros são mais próximos. O perdão deve estar presente em todos os seguimentos sociais, como a comunidade eclesial, a escola, o local de trabalho, etc. Não podemos viver neste mundo sem pedir perdão ou sem aceitar o perdão de quem nos pede. O perdão é bíblico como nos mostra o evangelho deste dia. O modo de perdoar se torna uma realidade da comunidade dos discípulos de Jesus. Então, todo seguidor de Jesus deve exercitar-se na escola do perdão. Geralmente que tem muito amor para compartilhar perdoa com mais facilidade. Quem tem pouco amor para compartilhar perdoa menos (cf. Lucas 7,36-49). Jesus conta uma parábola sobre o perdão para ilustrar esse tema. E mostra que Deus nos perdoa sempre porque Deus é compaixão e é misericórdia. Da mesma, como somos filhos e filhas de Deus, mediante o sacramento do Batismo, devemos perdoar também de acordo com as necessidades. Meditemos, hoje, sobre o dom do perdão. Peçamos a Jesus a graça de perdoarmos sem medida as pessoas que nos ofenderam e que nos ofendem. O Pai Nosso é uma oração que nos remete ao perdão. A condição está em Deus como fonte do perdão divino. Em Deus devemos perdoar os outros.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *